Voltar
03/2021

Como funciona a valorização da carta de crédito com o reajuste anual?

O consórcio é a melhor alternativa de crédito para quem está em busca de comprar um bem de valor mais elevado, como um imóvel ou automóvel, mas não tem o dinheiro suficiente para realizar o pagamento à vista ou prefere não se descapitalizar. Ou seja, o consórcio se coloca como um verdadeiro aliado nos tempos de crise.

Para você investir o seu dinheiro no consórcio e aproveitar ao máximo os benefícios dessa modalidade de compra, é fundamental conhecer os detalhes que o sistema de consórcio possui, principalmente para não ter problemas com falta de informação no futuro. O reajuste anual do consórcio deve ser avaliado de forma especial , pois vale destacar que além da variação no valor da parcela, o reajuste também impacta sobre a valorização do crédito. Acompanhe o conteúdo e fique por dentro!

Valorização da carta de crédito com o reajuste do consórcio: entenda como funciona 

Apesar dos reajustes anuais não serem muito bem vindos, é preciso considerar que, ao longo do tempo, tanto os imóveis quanto os automóveis sofrem variações de preços, e isso acontece devido ao movimento da inflação, além de outras mudanças no mercado. 

Dessa forma, com o objetivo de manter o equilíbrio do sistema de consórcio e garantir condições para a aquisição do bem aos consorciados, é feito um reajuste anual do valor do crédito. Nada mais justo, certo? 

Um dos fatores para a existência do reajuste anual de consórcio são as exigências da Lei 11.795/08, que determina as regras para o consórcio: “propiciar a seus integrantes, de forma isonômica, a aquisição de bens ou serviços”.

No entanto, sendo contemplado ou não, o reajuste do consórcio será aplicado para todos os participantes, e assim é garantido o acesso ao bem pretendido pelo grupo. Para você enxergar tudo isso de um ponto de vista positivo, vamos a um exemplo: 

Ana decidiu aderir ao consórcio para comprar um carro específico. Na época, que ela tomou essa decisão, o valor era de R$55.000,00. 6 meses após o início do consórcio, o mesmo carro passou a custar R$56.500,00 e hoje ele vale R$58.000,00. Se o reajuste de consórcio não existisse, somente os consorciados que receberam a carta de crédito nos primeiros 6 meses poderiam comprar o veículo desejado. É isso mesmo… o consórcio é a modalidade de compra mais justa, pode acreditar! Por outro lado, nessa situação, os demais consorciados teriam que se contentar com modelos inferiores, de preço mais baixo, ou, outra opção seria completar o valor do crédito com os próprios recursos.

Assim, o reajuste é feito para evitar prejuízos e impedir que os primeiros contemplados sejam privilegiados em detrimento dos demais. Novamente o destaque: o consórcio é mais justo. Agora, veja os índices utilizados para calcular o reajuste anual:

IPCA

IPCA é uma sigla para Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo direcionado a preços de diversos tipos de produtos e serviços, incluindo bens oferecidos em um consórcio, que também  variam de acordo com ele. Por exemplo, para a carta de crédito de viagens e automóveis.  Se você quer consultar o IPCA, é possível encontrar os dados e notícias sobre o índice no site do IBGE!

como-funciona-a-valorizacao-da-carta-de-credito-com-o-reajuste-anual

INCC

O INCC — Índice Nacional de Custo da Construção — é aplicado somente para o consórcio de imóveis e é responsável por medir a variação dos custos relacionados à construção de moradias no país. A Fundação Getúlio Vargas é responsável por divulgá-lo. Os preços dos imóveis praticados em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília são utilizados como parâmetro para determinar o INCC. E se você está se sentindo injustiçado, saiba que não é apenas o consórcio que utiliza o índice: construtoras, imobiliárias e bancos também fazem uso dele para imóveis na planta, novos ou usados.

Qual o impacto do reajuste anual nas parcelas?

Assim, levando em consideração que o crédito precisa ser reajustado, também há a necessidade de alterar anualmente o valor das parcelas. Porém, não esqueça que no consórcio você se livra de altos juros, se comparado ao financiamento, por exemplo. 

Em outras palavras, isso significa que o reajuste do valor da parcela serve para manter a carta de crédito sempre suficiente para atender àquilo que o consorciado de fato está em busca. Assim você não perde o poder de compra.

O reajuste do valor do crédito — e, como consequência, da parcela — é realizado com base nas regras estabelecidas no contrato de adesão ao consórcio. As regras estão vinculadas ao tipo de bem ou serviço que o consorciado pretende adquirir, a administradora de consórcio é responsável por definir a regra de reajuste, e deve ser baseada em um índice de preço estabelecido para um determinado segmento de mercado.

Benefícios do reajuste anual de consórcio

Vamos lá, bora superar os ‘’pré-conceitos’’. Para começar, precisamos compreender que reajustar não é sinônimo de aumentar o preço. 

No sistema do consórcio, o reajuste significa o realinhamento do valor do crédito com o valor de mercado de um bem ou de um serviço. É a valorização da carta de crédito

Mas vale considerar que, devido às instabilidades econômicas dos últimos tempos, e o histórico de inflação crescente no país, os preços tendem a aumentar, dessa forma, é natural que a expectativa seja de elevação do valor da parcela.

Por outro lado, se o índice utilizado no reajuste anual for negativo ou se houver a redução de preço de tabela do bem ou do serviço, logo, a parcela do consórcio também pode vir a ser menor. 3 fatos sobre o reajuste: 

  • Todas as alterações são feitas com base no que a administradora de consórcio estabeleceu em contrato;
  • O consórcio é feito em grupo, o reajuste é dividido igualitariamente entre todos os participantes; 
  • O reajuste não é cobrado sobre as parcelas anteriores, assim, incide apenas nas subsequentes, ou seja, no saldo devedor.

Como não há um valor fixo em relação aos reajustes com base nos índices, fique atento ao que é estabelecido no contrato.

Faça um UP Consórcios! Que tal começar por uma simulação no UP? Sabe quando é a hora de alcançar conquistas? Agora! 


Simule seu consórcio agora mesmo!

Simule agora

Outras matérias relacionadas

05/2021

Por que investir em tecnologia no campo agrícola?

Você sabe a importância de investir em tecnologia no campo agrícola? Pois é, os tempos mudaram. Por isso é importante fazer a diferença, saiba como.

03/2021

Como funciona o consórcio para cirurgia plástica pós-bariátrica

Quer dar um UP na autoestima e não sabe como fazer? Acesse nossa postagem e saiba como funciona o consórcio para cirurgia plástica pós-bariátrica!

03/2021

5 Dicas de ouro para organização financeira de jovens

Uma organização financeira é um grande aliado quando se trata de alcançar nossas metas. Confira 5 dicas de ouro para organização financeira de jovens!

Como funciona a valorização da carta de crédito com o reajuste anual?

Como funciona a valorização da carta de crédito com o reajuste anual?

O consórcio é a melhor alternativa de crédito para quem está em busca de comprar um bem de valor mais elevado, como um imóvel ou automóvel, mas não tem o dinheiro suficiente para realizar o pagamento à vista ou prefere não se descapitalizar. Ou seja, o consórcio se coloca como um verdadeiro aliado nos tempos de crise.

Para você investir o seu dinheiro no consórcio e aproveitar ao máximo os benefícios dessa modalidade de compra, é fundamental conhecer os detalhes que o sistema de consórcio possui, principalmente para não ter problemas com falta de informação no futuro. O reajuste anual do consórcio deve ser avaliado de forma especial , pois vale destacar que além da variação no valor da parcela, o reajuste também impacta sobre a valorização do crédito. Acompanhe o conteúdo e fique por dentro!

Valorização da carta de crédito com o reajuste do consórcio: entenda como funciona 

Apesar dos reajustes anuais não serem muito bem vindos, é preciso considerar que, ao longo do tempo, tanto os imóveis quanto os automóveis sofrem variações de preços, e isso acontece devido ao movimento da inflação, além de outras mudanças no mercado. 

Dessa forma, com o objetivo de manter o equilíbrio do sistema de consórcio e garantir condições para a aquisição do bem aos consorciados, é feito um reajuste anual do valor do crédito. Nada mais justo, certo? 

Um dos fatores para a existência do reajuste anual de consórcio são as exigências da Lei 11.795/08, que determina as regras para o consórcio: “propiciar a seus integrantes, de forma isonômica, a aquisição de bens ou serviços”.

No entanto, sendo contemplado ou não, o reajuste do consórcio será aplicado para todos os participantes, e assim é garantido o acesso ao bem pretendido pelo grupo. Para você enxergar tudo isso de um ponto de vista positivo, vamos a um exemplo: 

Ana decidiu aderir ao consórcio para comprar um carro específico. Na época, que ela tomou essa decisão, o valor era de R$55.000,00. 6 meses após o início do consórcio, o mesmo carro passou a custar R$56.500,00 e hoje ele vale R$58.000,00. Se o reajuste de consórcio não existisse, somente os consorciados que receberam a carta de crédito nos primeiros 6 meses poderiam comprar o veículo desejado. É isso mesmo… o consórcio é a modalidade de compra mais justa, pode acreditar! Por outro lado, nessa situação, os demais consorciados teriam que se contentar com modelos inferiores, de preço mais baixo, ou, outra opção seria completar o valor do crédito com os próprios recursos.

Assim, o reajuste é feito para evitar prejuízos e impedir que os primeiros contemplados sejam privilegiados em detrimento dos demais. Novamente o destaque: o consórcio é mais justo. Agora, veja os índices utilizados para calcular o reajuste anual:

IPCA

IPCA é uma sigla para Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo direcionado a preços de diversos tipos de produtos e serviços, incluindo bens oferecidos em um consórcio, que também  variam de acordo com ele. Por exemplo, para a carta de crédito de viagens e automóveis.  Se você quer consultar o IPCA, é possível encontrar os dados e notícias sobre o índice no site do IBGE!

como-funciona-a-valorizacao-da-carta-de-credito-com-o-reajuste-anual

INCC

O INCC — Índice Nacional de Custo da Construção — é aplicado somente para o consórcio de imóveis e é responsável por medir a variação dos custos relacionados à construção de moradias no país. A Fundação Getúlio Vargas é responsável por divulgá-lo. Os preços dos imóveis praticados em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília são utilizados como parâmetro para determinar o INCC. E se você está se sentindo injustiçado, saiba que não é apenas o consórcio que utiliza o índice: construtoras, imobiliárias e bancos também fazem uso dele para imóveis na planta, novos ou usados.

Qual o impacto do reajuste anual nas parcelas?

Assim, levando em consideração que o crédito precisa ser reajustado, também há a necessidade de alterar anualmente o valor das parcelas. Porém, não esqueça que no consórcio você se livra de altos juros, se comparado ao financiamento, por exemplo. 

Em outras palavras, isso significa que o reajuste do valor da parcela serve para manter a carta de crédito sempre suficiente para atender àquilo que o consorciado de fato está em busca. Assim você não perde o poder de compra.

O reajuste do valor do crédito — e, como consequência, da parcela — é realizado com base nas regras estabelecidas no contrato de adesão ao consórcio. As regras estão vinculadas ao tipo de bem ou serviço que o consorciado pretende adquirir, a administradora de consórcio é responsável por definir a regra de reajuste, e deve ser baseada em um índice de preço estabelecido para um determinado segmento de mercado.

Benefícios do reajuste anual de consórcio

Vamos lá, bora superar os ‘’pré-conceitos’’. Para começar, precisamos compreender que reajustar não é sinônimo de aumentar o preço. 

No sistema do consórcio, o reajuste significa o realinhamento do valor do crédito com o valor de mercado de um bem ou de um serviço. É a valorização da carta de crédito

Mas vale considerar que, devido às instabilidades econômicas dos últimos tempos, e o histórico de inflação crescente no país, os preços tendem a aumentar, dessa forma, é natural que a expectativa seja de elevação do valor da parcela.

Por outro lado, se o índice utilizado no reajuste anual for negativo ou se houver a redução de preço de tabela do bem ou do serviço, logo, a parcela do consórcio também pode vir a ser menor. 3 fatos sobre o reajuste: 

  • Todas as alterações são feitas com base no que a administradora de consórcio estabeleceu em contrato;
  • O consórcio é feito em grupo, o reajuste é dividido igualitariamente entre todos os participantes; 
  • O reajuste não é cobrado sobre as parcelas anteriores, assim, incide apenas nas subsequentes, ou seja, no saldo devedor.

Como não há um valor fixo em relação aos reajustes com base nos índices, fique atento ao que é estabelecido no contrato.

Faça um UP Consórcios! Que tal começar por uma simulação no UP? Sabe quando é a hora de alcançar conquistas? Agora! 


Últimas Postagens

FGTS para construir imóvel: entenda como isso é possível

Poucos sabem que com o consórcio é possível gastar menos do que por meio do financiamento, ainda mais podendo utilizar o FGTS. Saiba mais sobre isso!

10 sinais de que você precisa fazer um consórcio

O consórcio é a melhor maneira de você adquirir seu próximo bem por ser flexível ao seu orçamento. Vamos te dar todos os motivos que mostram as vantagens.

Como comprar um carro sem precisar juntar dinheiro

Se você tem dificuldades para juntar dinheiro, existe uma solução para revolucionar a sua vida: o UP Consórcios. Te contamos como funciona o processo.

Preciso da carta de crédito! Qual lance ofertar para ser contemplado no consórcio?

Está precisando da carta de crédito com urgência? Sabia que é possível ofertar um lance para ser contemplado no consórcio. A gente te explica o processo.

Entenda como funciona a restituição do Imposto de renda

As dúvidas sobre o Imposto de Renda são bem comuns, entre elas, como funciona a restituição do imposto de renda. Vamos te contar como funciona!

Vida de casados: qual a melhor forma de investir o FGTS do casal

Casar é uma grande decisão, que envolve juntar alguns bens e projetar outros. Com o consórcio de imóvel, é possível adquirir a casa própria sem dores de cabeça.
Próximo
1 / 87
Facebook - UP Consórcios
Instagram - UP Consórcios
Twitter - UP Consórcios
Linkedin - UP Consórcios
Youtube - UP Consórcios
Deezer - UP Consórcios
Spotify - UP Consórcios