Voltar
05/2021

É possível comprar um veiculo que está financiado com consórcio?

O financiamento é uma das maneiras mais comuns de adquirir bens de forma parcelada e imediata. Porém, na batalha entre duas modalidades de compra; consórcio e financiamento, o financiamento é a grande vencedora. Afinal, o consórcio é muito menos burocrático, você não paga juros e, além disso, a carta de crédito do consórcio pode ser usada para quitar um veículo financiado. Está curioso para saber como funciona? Continue a leitura!

Como utilizar a carta de crédito para quitar financiamento?

Quitar financiamento garante o desconto sobre juros futuros. Ou seja, se livrar dos juros que você pagaria, mas que, com a quitação, deixará de pagar.

No financiamento de carro, ou de imóvel, os juros são extremamente altos. Mas, se é possível quitar com antecedência, elimina-se os juros futuros. A quitação é sempre bem vinda, principalmente nesse caso (financiamento? tô fora!).

Para quitar o financiamento, há duas opções: o pagamento à vista ou a carta de crédito.

Infelizmente, para quem optou por fazer financiamento, não é sempre que é fácil pagá-lo à vista. Dessa maneira, a carta de crédito surge como uma excelente opção para quem quer ficar livre dos juros de financiamento.

Em qual momento é possível quitar o financiamento com consórcio?

Após entrar no consórcio, há o momento em que o participante é sorteado ou oferece o lance, a partir daí ele adquire a carta de crédito e pode utilizar esse recurso liberado para saldar sua dívida.

Se o valor da carta de crédito é superior ao valor necessário, o que sobra pode ser utilizado para cobrir despesas da documentação do imóvel, por exemplo: tributos de transação, taxas de registro imobiliário e até diminuir o saldo devedor. 

O prazo é outro importante aspecto a ser pensado, pois se o financiamento era de 30 anos e uma pessoa, após pagar por 10 anos, consegue eliminá-lo, serão 20 anos a menos de juros! Com esse ‘’resgate de dinheiro’’ é possível ter uma vida muito mais tranquila! 

Requisitos para quitar financiamento com carta de crédito

A quitação de financiamento com carta de crédito é regulamentada pela lei dos consórcios (Lei nº 11.1795/2008). Como em toda grande comunicação financeira, há requisitos a serem respeitados nessa operação: 

  • o financiamento e a carta de crédito devem estar no nome da mesma pessoa;
  • o grupo de consórcio e o contrato de financiamento não podem ser de antes de 2009;
  • um financiamento de carro, por exemplo, só pode ser quitado com uma carta de crédito e automóveis devidamente contemplada, ou seja, os dois contratos devem ser do mesmo segmento;
  • é necessário que a carta de crédito tenha valor igual ou superior ao saldo devido à instituição financeira, para fins de quitação do financiamento.

Após verificar todas essas condições, o consórcio é responsável por fazer uma análise de crédito, ali, serão bem avaliados se o valor bate com o que está sendo declarado e pago na operação.

Por que quitar dívidas com consórcio?

1. Parcelas facilitadas: planejamento financeiro

Não existe a possibilidade de criar um patrimônio de uma vez só, como em um passe de mágica. O consórcio é um facilitador, afinal, ele oferece a possibilidade de construir patrimônio a médio e longo prazos por meio do pagamento de parcelas flexíveis.

Esse é um diferencial em relação às parcelas de um financiamento: ao final os juros costumam dificultar a construção de um patrimônio, sobretudo aqueles que estão começando. A matemática aqui é simples: quem comprou o primeiro apartamento pagando 3 imóveis ao banco, deixou de comprar dois! Sim, pagar juros está fora de cogitação para quem quer começar a construir seu patrimônio de forma estratégica.

e-possivel-comprar-um-veiculo-que-esta-financiado-com-consorcio

2. Controle de gastos e custos mais baixos para bens de grande valor

Outra questão sempre a favor do consórcio na vida dos jovens é o fato de ele oferecer bens de valor mais alto a custos menores. Bens de grande valor como:  casas, apartamentos, terrenos, carros — bens que, sem dúvida nenhuma, constituem a base de todo patrimônio. Outros itens de valor podem ser destacados como o consórcio de serviços: intercâmbio, cirurgia plástica e outros. 

Um imóvel pode se tornar parte integrante do patrimônio de um jovem a custos bem mais baixos que um financiamento. E como a compra de imóveis à vista é algo mais raro, que acontece com mais frequência somente quando se trata de uma troca de imóvel com uma pequena diferença de valor, o consórcio também se consolida como a alternativa de compra mais acessível. 

De modo geral, para o restante da população, a solução é o financiamento ou o consórcio. Sabemos muito bem que os custos de um financiamento nem sempre são compatíveis com a renda do brasileiro (basta considerar outros compromissos financeiros).

Para comprovar este cenário, basta comparar o CET de um financiamento imobiliário com os custos totais de um consórcio. Independentemente do sistema de amortização escolhido (SAC, Price, SAM), os custos do consórcio serão bem menores. O motivo está diante da realidade de que o máximo que o consórcio cobra é a taxa de administração, diluída ao longo de todo o prazo do plano.

3. Caminho mais rápido para aquisição do bem

O consórcio é um investimento a médio ou longo prazo, mas apesar disso,  é o caminho mais rápido para um jovem construir seu patrimônio. Considere, por exemplo, o tempo necessário para juntar certa quantia de dinheiro para comprar um imóvel à vista — ele pode levar muitos anos e, durante esse período, o bem pode aumentar de valor. Por outro lado, poupar sozinho sempre requer uma disciplina que exige rigor. A verdade é que, muitas vezes, torna-se necessário mexer no dinheiro que está sendo economizado, e isso aumenta o tempo de espera para a aquisição do bem.

O consórcio é a maneira mais eficaz de conseguir seu objetivo. Trata-se de um compromisso que o jovem assume, uma poupança turbinada, mas com a diferença de que é bem mais segura, já que ele não guarda o dinheiro sozinho, entregando-o a uma administradora que vai gerenciar o capital e garantir sua atualização, ou seja, a carta de crédito é reajustada para garantir o poder de compra do consorciado.

Além disso, pode-se considerar uma contemplação antecipada por meio de sorteios e lances. Um consórcio imobiliário, por exemplo, pode durar até 15 anos, mas você pode se programar para um prazo menor. Já um consórcio de carros pode durar de 5 a 8 anos, sendo possível reduzir esse prazo, a partir da oferta de lances ou quando você é sorteado.

4. Flexibilidade

Não há burocracia no momento da adesão. Durante o período de consórcio, você poderá até trocar de carta de crédito: caso sinta que as parcelas pesam demais em seu orçamento, a opção é uma carta de crédito mais barata, além de também poder vendê-la para outro consorciado ou pessoa interessada.

Após ser contemplado, você poderá escolher o bem que quiser dentro da categoria do grupo escolhido (imóvel ou veículo), optar por um modelo mais barato de carro ou mais caro (completando a diferença); ou, outra opção, comprar outro tipo de veículo no lugar de um carro. Da mesma maneira, com o consórcio de imóvel: poderá comprar casa, apartamento, terreno ou chácara, em qualquer local que escolher. 

No UP Consórcios você encontra as menores parcelas do mercado. Simule, compare e compre.


Simule seu consórcio agora mesmo!

Simule agora

Outras matérias relacionadas

05/2021

Quanto custa um consórcio de imóvel

Fazer um consórcio de imóvel, para qualquer tipo (novo, usado e afins), oferece planos e vantagens exclusivas. Confira quanto custa um consórcio de imóvel!

05/2021

Como funciona um Consórcio de Imóvel

Muitas pessoas têm visto o Consórcio de Imóvel como uma excelente oportunidade de tirar os planos do papel. Acesse e saiba como funciona o Consórcio de Imóvel!

06/2021

Consórcio de maquinário agrícola vale a pena?

A mecanização na agricultura elevou o agronegócio a um patamar de produtividade nunca antes visto. Mas consócio de maquinário vale a pena? Confira!

É possível comprar um veiculo que está financiado com consórcio?

É possível comprar um veiculo que está financiado com consórcio?

O financiamento é uma das maneiras mais comuns de adquirir bens de forma parcelada e imediata. Porém, na batalha entre duas modalidades de compra; consórcio e financiamento, o financiamento é a grande vencedora. Afinal, o consórcio é muito menos burocrático, você não paga juros e, além disso, a carta de crédito do consórcio pode ser usada para quitar um veículo financiado. Está curioso para saber como funciona? Continue a leitura!

Como utilizar a carta de crédito para quitar financiamento?

Quitar financiamento garante o desconto sobre juros futuros. Ou seja, se livrar dos juros que você pagaria, mas que, com a quitação, deixará de pagar.

No financiamento de carro, ou de imóvel, os juros são extremamente altos. Mas, se é possível quitar com antecedência, elimina-se os juros futuros. A quitação é sempre bem vinda, principalmente nesse caso (financiamento? tô fora!).

Para quitar o financiamento, há duas opções: o pagamento à vista ou a carta de crédito.

Infelizmente, para quem optou por fazer financiamento, não é sempre que é fácil pagá-lo à vista. Dessa maneira, a carta de crédito surge como uma excelente opção para quem quer ficar livre dos juros de financiamento.

Em qual momento é possível quitar o financiamento com consórcio?

Após entrar no consórcio, há o momento em que o participante é sorteado ou oferece o lance, a partir daí ele adquire a carta de crédito e pode utilizar esse recurso liberado para saldar sua dívida.

Se o valor da carta de crédito é superior ao valor necessário, o que sobra pode ser utilizado para cobrir despesas da documentação do imóvel, por exemplo: tributos de transação, taxas de registro imobiliário e até diminuir o saldo devedor. 

O prazo é outro importante aspecto a ser pensado, pois se o financiamento era de 30 anos e uma pessoa, após pagar por 10 anos, consegue eliminá-lo, serão 20 anos a menos de juros! Com esse ‘’resgate de dinheiro’’ é possível ter uma vida muito mais tranquila! 

Requisitos para quitar financiamento com carta de crédito

A quitação de financiamento com carta de crédito é regulamentada pela lei dos consórcios (Lei nº 11.1795/2008). Como em toda grande comunicação financeira, há requisitos a serem respeitados nessa operação: 

  • o financiamento e a carta de crédito devem estar no nome da mesma pessoa;
  • o grupo de consórcio e o contrato de financiamento não podem ser de antes de 2009;
  • um financiamento de carro, por exemplo, só pode ser quitado com uma carta de crédito e automóveis devidamente contemplada, ou seja, os dois contratos devem ser do mesmo segmento;
  • é necessário que a carta de crédito tenha valor igual ou superior ao saldo devido à instituição financeira, para fins de quitação do financiamento.

Após verificar todas essas condições, o consórcio é responsável por fazer uma análise de crédito, ali, serão bem avaliados se o valor bate com o que está sendo declarado e pago na operação.

Por que quitar dívidas com consórcio?

1. Parcelas facilitadas: planejamento financeiro

Não existe a possibilidade de criar um patrimônio de uma vez só, como em um passe de mágica. O consórcio é um facilitador, afinal, ele oferece a possibilidade de construir patrimônio a médio e longo prazos por meio do pagamento de parcelas flexíveis.

Esse é um diferencial em relação às parcelas de um financiamento: ao final os juros costumam dificultar a construção de um patrimônio, sobretudo aqueles que estão começando. A matemática aqui é simples: quem comprou o primeiro apartamento pagando 3 imóveis ao banco, deixou de comprar dois! Sim, pagar juros está fora de cogitação para quem quer começar a construir seu patrimônio de forma estratégica.

e-possivel-comprar-um-veiculo-que-esta-financiado-com-consorcio

2. Controle de gastos e custos mais baixos para bens de grande valor

Outra questão sempre a favor do consórcio na vida dos jovens é o fato de ele oferecer bens de valor mais alto a custos menores. Bens de grande valor como:  casas, apartamentos, terrenos, carros — bens que, sem dúvida nenhuma, constituem a base de todo patrimônio. Outros itens de valor podem ser destacados como o consórcio de serviços: intercâmbio, cirurgia plástica e outros. 

Um imóvel pode se tornar parte integrante do patrimônio de um jovem a custos bem mais baixos que um financiamento. E como a compra de imóveis à vista é algo mais raro, que acontece com mais frequência somente quando se trata de uma troca de imóvel com uma pequena diferença de valor, o consórcio também se consolida como a alternativa de compra mais acessível. 

De modo geral, para o restante da população, a solução é o financiamento ou o consórcio. Sabemos muito bem que os custos de um financiamento nem sempre são compatíveis com a renda do brasileiro (basta considerar outros compromissos financeiros).

Para comprovar este cenário, basta comparar o CET de um financiamento imobiliário com os custos totais de um consórcio. Independentemente do sistema de amortização escolhido (SAC, Price, SAM), os custos do consórcio serão bem menores. O motivo está diante da realidade de que o máximo que o consórcio cobra é a taxa de administração, diluída ao longo de todo o prazo do plano.

3. Caminho mais rápido para aquisição do bem

O consórcio é um investimento a médio ou longo prazo, mas apesar disso,  é o caminho mais rápido para um jovem construir seu patrimônio. Considere, por exemplo, o tempo necessário para juntar certa quantia de dinheiro para comprar um imóvel à vista — ele pode levar muitos anos e, durante esse período, o bem pode aumentar de valor. Por outro lado, poupar sozinho sempre requer uma disciplina que exige rigor. A verdade é que, muitas vezes, torna-se necessário mexer no dinheiro que está sendo economizado, e isso aumenta o tempo de espera para a aquisição do bem.

O consórcio é a maneira mais eficaz de conseguir seu objetivo. Trata-se de um compromisso que o jovem assume, uma poupança turbinada, mas com a diferença de que é bem mais segura, já que ele não guarda o dinheiro sozinho, entregando-o a uma administradora que vai gerenciar o capital e garantir sua atualização, ou seja, a carta de crédito é reajustada para garantir o poder de compra do consorciado.

Além disso, pode-se considerar uma contemplação antecipada por meio de sorteios e lances. Um consórcio imobiliário, por exemplo, pode durar até 15 anos, mas você pode se programar para um prazo menor. Já um consórcio de carros pode durar de 5 a 8 anos, sendo possível reduzir esse prazo, a partir da oferta de lances ou quando você é sorteado.

4. Flexibilidade

Não há burocracia no momento da adesão. Durante o período de consórcio, você poderá até trocar de carta de crédito: caso sinta que as parcelas pesam demais em seu orçamento, a opção é uma carta de crédito mais barata, além de também poder vendê-la para outro consorciado ou pessoa interessada.

Após ser contemplado, você poderá escolher o bem que quiser dentro da categoria do grupo escolhido (imóvel ou veículo), optar por um modelo mais barato de carro ou mais caro (completando a diferença); ou, outra opção, comprar outro tipo de veículo no lugar de um carro. Da mesma maneira, com o consórcio de imóvel: poderá comprar casa, apartamento, terreno ou chácara, em qualquer local que escolher. 

No UP Consórcios você encontra as menores parcelas do mercado. Simule, compare e compre.


Últimas Postagens

Consórcio de maquinário agrícola vale a pena?

A mecanização na agricultura elevou o agronegócio a um patamar de produtividade nunca antes visto. Mas consócio de maquinário vale a pena? Confira!

Test drive de trator: entenda a importância do teste antes de comprar

Alguma vez você já fez um test drive de trator? Te explicamos a importância de fazer antes de fechar a compra. Confira os detalhes neste artigo!

Consórcio de veículos em crescimento no Brasil

Se você quer fazer um comprar um carro, antes precisa entender como consórcio de veículos em crescimento no Brasil pode te ajudar.

O que acontece com o consórcio após a morte do consorciado sem seguro?

Você sabe o que acontece com o consórcio após a morte do consorciado sem seguro? É uma situação triste, mas explicamos a parte burocrática.

Investimento imobiliário em Balneário Camboriu

Saiba tudo sobre investimento imobiliário em Balneário Camboriu. Não perca mais tempo e invista na compra do seu imóvel com o UP Consórcios!

Quais as exigências para entrar no consórcio? 5 tópicos que você precisa saber

Conseguir conquistar algum bem de alto valor, como um imóvel ou um carro novo, envolve se organizar financeiramente.
Próximo
1 / 94
Facebook - UP Consórcios
Instagram - UP Consórcios
Twitter - UP Consórcios
Linkedin - UP Consórcios
Youtube - UP Consórcios
Deezer - UP Consórcios
Spotify - UP Consórcios