Voltar
01/2020

Casa própria ou alugada: qual o ideal para você?

Descubra o melhor momento para optar pelo aluguel ou pela casa própria. De quebra, conheça o UP Consórcios, uma alternativa de pagamento que cabe no seu bolso.

Durante muitos anos o brasileiro médio se planejou da seguinte forma: trabalhar, juntar dinheiro e fazer o máximo para sair do aluguel. Entretanto, esse raciocínio tem mudado com o passar dos anos.

O alto valor dos imóveis depende de anos, às vezes décadas, pagando uma mensalidade alta - e, muitas vezes, com alto percentual de juros, se a opção escolhida for o financiamento.

A ansiedade em ter a casa própria muitas vezes faz com que o comprador ignore o verdadeiro valor pago lá na frente. Por isso, é comum encontrar especialistas dizendo exatamente o contrário nos dias de hoje: em muitas situações, o aluguel não é tão ruim assim.

Entretanto, é preciso analisar o perfil de cada um antes de tomar a decisão de investir na casa própria ou ficar no aluguel.

Casa Própria ou Alugada: Saiba Qual o Melhor Para você

Quando o Aluguel é o Melhor Negócio:

O aluguel pode ser uma boa opção para quem não tem o valor de entrada de um imóvel. Faça os cálculos na ponta do lápis, para não sair no prejuízo.

Vale ressaltar que o aluguel não deve comprometer mais de 30% do seu orçamento, incluindo gastos com água, luz e condomínio (no caso de apartamento).

Uma vez que não é preciso gastar alto valor de entrada, você pode usar essa economia para fazer um investimento que compense. Uma boa ideia é investir em um CDB ou Tesouro Direto, que tende a render mais que a poupança, principalmente a médio e longo prazo. Outra opção é investir em fundos imobiliários, que seguem os índices do mercado e são isentos do Imposto de Renda.

Se você gosta de mudar de bairros, viajar bastante, ou seja, está em constante mudança, o aluguel evita o compromisso de pagar alta quantia em um imóvel que provavelmente você venderia em um futuro próximo. Nesse caso, o aluguel é uma opção mais vantajosa que a casa própria.

Quando a casa própria é o melhor negócio

Se você já adquiriu o hábito de poupar e guardou um bom dinheiro pensando em comprar um novo imóvel, então investir na casa própria pode ser um bom negócio.

Mas, se a ideia é optar por um financiamento, é preciso se organizar bem. Primeiramente, é preciso dar uma entrada de pelo menos 20% do total do imóvel, mesmo que seja em parcelas fatiadas. Sem falar que, durante o pagamento, é preciso arcar com os juros.

Por exemplo, se investir em um imóvel de R$ 300 mil, com um prazo de financiamento de 15 anos a custo efetivo de 9%, ao final do prazo terá gasto mais de R$ 450 mil, ou seja, pelo menos 50% a mais.

Mas, se você não tem o valor de entrada e, mesmo assim, tem o sonho da casa própria, pode investir em um consórcio de imóveis. Pelo UP, você pode fazer uma simulação sem pagar valor de entrada e parcelas intermediárias, comuns no financiamento.

Casa Própria ou Alugada - UP Consórcios

Diferente das modalidades convencionais de consórcio, pelo UP você só paga a taxa de administração após ser contemplado. Ou seja: se for contemplado no final do plano, não pagará nada além do valor da carta de crédito.

E aí, conseguiu tirar as dúvidas de qual a melhor opção para você? Siga o UP no Facebook, YouTube e Instagram e confira mais dicas de finanças pessoais.

Simule seu consórcio agora mesmo!

Simule agora

Outras matérias relacionadas

01/2020

Taxa consórcio: o que é cobrado para administração?

A taxa no consórcio é o valor cobrado para gestão dos grupos de consorciados.

10/2019

Carros Uber: melhores modelos para o trabalho

Confira os melhores modelos de carro para quem deseja ser motorista do Uber.

12/2019

Fuja das taxas e cobranças de consórcio: conheça a proposta do UP

Saiba como o UP reinventou o consórcio e oferece um plano diferenciado pra você.

Casa própria ou alugada: qual o ideal para você?

Casa própria ou alugada: qual o ideal para você?

Durante muitos anos o brasileiro médio se planejou da seguinte forma: trabalhar, juntar dinheiro e fazer o máximo para sair do aluguel. Entretanto, esse raciocínio tem mudado com o passar dos anos.

O alto valor dos imóveis depende de anos, às vezes décadas, pagando uma mensalidade alta - e, muitas vezes, com alto percentual de juros, se a opção escolhida for o financiamento.

A ansiedade em ter a casa própria muitas vezes faz com que o comprador ignore o verdadeiro valor pago lá na frente. Por isso, é comum encontrar especialistas dizendo exatamente o contrário nos dias de hoje: em muitas situações, o aluguel não é tão ruim assim.

Entretanto, é preciso analisar o perfil de cada um antes de tomar a decisão de investir na casa própria ou ficar no aluguel.

Casa Própria ou Alugada: Saiba Qual o Melhor Para você

Quando o Aluguel é o Melhor Negócio:

O aluguel pode ser uma boa opção para quem não tem o valor de entrada de um imóvel. Faça os cálculos na ponta do lápis, para não sair no prejuízo.

Vale ressaltar que o aluguel não deve comprometer mais de 30% do seu orçamento, incluindo gastos com água, luz e condomínio (no caso de apartamento).

Uma vez que não é preciso gastar alto valor de entrada, você pode usar essa economia para fazer um investimento que compense. Uma boa ideia é investir em um CDB ou Tesouro Direto, que tende a render mais que a poupança, principalmente a médio e longo prazo. Outra opção é investir em fundos imobiliários, que seguem os índices do mercado e são isentos do Imposto de Renda.

Se você gosta de mudar de bairros, viajar bastante, ou seja, está em constante mudança, o aluguel evita o compromisso de pagar alta quantia em um imóvel que provavelmente você venderia em um futuro próximo. Nesse caso, o aluguel é uma opção mais vantajosa que a casa própria.

Quando a casa própria é o melhor negócio

Se você já adquiriu o hábito de poupar e guardou um bom dinheiro pensando em comprar um novo imóvel, então investir na casa própria pode ser um bom negócio.

Mas, se a ideia é optar por um financiamento, é preciso se organizar bem. Primeiramente, é preciso dar uma entrada de pelo menos 20% do total do imóvel, mesmo que seja em parcelas fatiadas. Sem falar que, durante o pagamento, é preciso arcar com os juros.

Por exemplo, se investir em um imóvel de R$ 300 mil, com um prazo de financiamento de 15 anos a custo efetivo de 9%, ao final do prazo terá gasto mais de R$ 450 mil, ou seja, pelo menos 50% a mais.

Mas, se você não tem o valor de entrada e, mesmo assim, tem o sonho da casa própria, pode investir em um consórcio de imóveis. Pelo UP, você pode fazer uma simulação sem pagar valor de entrada e parcelas intermediárias, comuns no financiamento.

Casa Própria ou Alugada - UP Consórcios

Diferente das modalidades convencionais de consórcio, pelo UP você só paga a taxa de administração após ser contemplado. Ou seja: se for contemplado no final do plano, não pagará nada além do valor da carta de crédito.

E aí, conseguiu tirar as dúvidas de qual a melhor opção para você? Siga o UP no Facebook, YouTube e Instagram e confira mais dicas de finanças pessoais.

Últimas Postagens

Entenda o que é Alienação Fiduciária no consórcio

Saiba como o recurso traz segurança ao consorciado e à administradora.

É possível mudar o valor da carta de crédito?

Saiba como ajustar a sua carta de crédito, seja para um valor maior ou menor.

Saiba como comprar um terreno com Consórcio de Imóveis

Um terreno possibilita construir um imóvel do jeito que você sempre desejou.

Tire suas dúvidas sobre a oferta de lance no consórcio

Lance é o valor ofertado pelo cliente para aumentar as chances de contemplação.

Aproveite a chegada de um novo ano para mudar seus hábitos financeiros

Poupar parte dos rendimentos é a porta de entrada para uma mudança nas finanças

13º salário: uma porta de entrada para novas conquistas

Aproveite a renda extra para buscar equilíbrio financeiro e novas conquistas
Próximo
1 / 14